Se esta rua falasse – James Baldwin

James Baldwin é considerado um dos escritores americanos mais importantes do século XX, a que se junta a sua importância como ativista dos direitos civis; encontrava-se, até agora, sem qualquer livro seu traduzido em Portugal, mas em boa hora a Alfaguara decidiu apostar na sua obra. Se esta rua falasse é um romance breve, com…

Laços – Domenico Starnone

Domenico Starnone é um conceituado escritor italiano que permanecia inédito em Portugal até à edição de Laços, último romance publicado pelo autor, em 2014. Laços relata, em relativamente poucas páginas, a longa história de uma disfuncional família italiana. O livro divide-se em três partes, cada uma delas dando a diferente perspetiva dos vários elementos dessa família em…

Leituras no feminino, uma Roda Extra

No passado sábado reunimos para falar de escrita no feminino, de autoras e dos temas recorrentes. Não apurámos ao certo se: traição, adultério, amor, solidão e especulação dominam os enredos, mas uma coisa é certa, a conversa esteve animada! A reunião decorreu na Mercearia Criativa, à qual, leitores, vos aconselho uma visita para degustações variadas.…

Encontro de outubro

Entre o verão com que entrámos na biblioteca e o cinzento outonal do céu à saída, este sábado houve tempo para mais uma habitual conversa animada à roda dos livros lidos e para a construção da pilha de sugestões de outubro. Com a chegada do fresco (na verdade ainda não está frio) e dos dias…

«MANAZURU» de Hiromi Kawakami – Opinião

“O meu marido desapareceu sem deixar rasto. Até hoje, não voltei a vê-lo.” O romance «Manazuru» podia assim encher-se com luto e o abandono, causado pela incerteza do desaparecimento de Rei. Mas não. Apesar de narrar um desaparecimento com mais de uma década, Kawakami, coloca Kei, a esposa, no centro desta narrativa, preenchendo-a de emoções…

“Vermelho decantado”, Jeroen Browers

“Enquanto estou aqui a escrever a minha versão dos anos de internamento naquele campo, o papa Wojtyla no seu avião desce do céu no Japão, para durantes alguns breves segundos fazer uma cara triste perante os munumentos dedicados à memória das vítimas das bombas atómicas de Hiroshima e Nagasaqui, e para de seguida abraçar o…

«O Bom Inverno» de João Tordo :: Opinião

Frustrado, cínico e hipocondríaco, o narrador: um escritor entregue à melancolia e a um certo ócio, está descrente do poder da literatura. Céptico com o poder dos livros e das suas histórias e, igualmente pessimista com o que a realidade tem para lhe oferecer. “Se antes eu era um pessimista, depois de comprar a bengala…