Crónica de uma Morte Anunciada – Gabriel García Márquez

Tenho um gosto particular pela leitura da escrita da América Latina, na qual reconheço traços únicos que me encantam. Tenho, ainda, uma particular predileção por vários autores sul-americanos. A escrita fluída e simples, rica daquela imaginação extraordinária que carateriza o realismo mágico, tornam a leitura destes autores especial, e contrasta claramente com a escrita, diria,…

Roda dos Livros – sugestões de Abril de 2017

Numa tarde de Primavera que mais parecia de Verão, a Roda dos Livros voltou a encontrar-se para uma sessão de conversa animada em redor dos livros. O resultado foi esta pilha, muito variada, de sugestões interessantes : Márcia: “Rapariga em guerra” de Sara Novic e “Persépolis de Marjane Satrapi Rui: “A trégua” de Mário Benedetti…

O Leitor do Comboio – Jean-Paul Didierlaurent

Ler no comboio (ou em qualquer local) é perfeitamente normal, na verdade é essencial, para quem gosta de livros. Guylain Vignolles lê em voz alta, todos os dias, durante o percurso de comboio. As suas leituras têm a particularidade de não terem qualquer seguimento, são textos avulsos sem ligação que vai lendo sentado sempre no…

O Czar do Amor e do Tecno

Francamente, não percebo, como livros menores são amplamente divulgados, enquanto um livro excelente não há um maior cuidado com a imagem e é quase inexistente. Não gosto da capa. Mas gosto cada vez mais de ler contos e este é talvez o meu preferido. O livro tem um lado A, com quatro contos, e um lado…

Roda dos Livros – Sugestões de Março de 2017

Numa tarde de Março pouco primaveril nada como reunir a Roda dos Livros para animar. Apesar do tempo, esteve uma sala bem composta em que as habituais gargalhadas não faltaram. Mais uma vez esteve connosco o Nuno Nepomuceno. Desta vez juntou-se a nós não o escritor mas o leitor e partilhou connosco opiniões sobre as…

A Avó e a Neve Russa – João Reis

João Reis opta, aqui, pelo caminho mais difícil: escolhe, como narrador, um menino de dez anos e mantém, ao longo de todo o livro, o tom da inocência deste confrontada com os factos, muitas vezes nada suaves, da vida que o rodeia. Para complicar ainda mais as coisas, este não é um menino de dez…

Nem Tudo Será Esquecido – Wendy Walker

Gosto quando um livro que eu não antecipei, me agarra e me prende à leitura como este. Um livro que eu afirmara não pretender ler. Apenas pela temática. Uma violação brutal de uma adolescente. Um crime numa pequena comunidade sem testemunhas. E sem provas. Um crime que acharam que podiam apagar da vitima, esquecendo as…

O Leitor do Comboio – Jean-Paul Didierlaurent

    Na minha opinião, dificilmente quem gosta de ler fica indiferente a este livro. Este é um desabafo impulsivo e sentido. As criticas de imprensa que aparecem na contracapa, ao contrário do que acontece com muitos outros livros correspondem à verdade. Um demasiado pequeno romance que me arrebatou e enterneceu desde o início. Primeiro Guylain e…

O Ruído do Tempo – Julian Barnes

Gosto tanto da escrita apurada e sintética de Julian Barnes. Sem falhas. Ritmada. Como uma bela música. Desta feita sobre a vida e obra de Dmitri Chostakovich, um importante compositor russo do tempo do estalinismo, atormentado e manipulado pelo poder, que o ameaçava e punia quando não agradava ou bajulava e premiava quando cedia. Dividido em…

A Avó e a Neve Russa – João Reis

Como não querer ler este livro? Um menino que nos fala (como um menino) da sua visão do mundo e dos planos para salvar a avó doente. É um menino que, na verdade, já é um homenzinho. Que sabe tantas coisas, tantas, da História do mundo e das pessoas em seu redor. Sabe da solidão…

Onze Tipos de Solidão – Richard Yates

Quando comecei a escrever sobre este livro de contos pensava dedicar um texto a cada uma das histórias. Escrevi umas linhas para o primeiro conto, e mais umas linhas para o segundo. Contudo a leitura ganhou fôlego e dediquei-me a lê-los de seguida, sem me preocupar com anotações e possíveis futuros textos. A solidão é…

O Último Paraíso – Antonio Garrido

 Como o título sugere, neste livro temos uma história de esperança de desesperados que na década de 1930 emigraram para a Rússia com a promessa de um futuro melhor. Este facto, que eu desconhecia, em que milhares de emigrantes como técnicos e operários especializados, idealistas e desesmpregados partiram em resposta ao apelo de prosperidade, mas…