Uma Mulher Desnecessária – Rabih Alameddine

Rabih Alameddine é um escritor e pintor de origem libanesa, que vive atualmente entre Beirute e São Francisco. Em Portugal, tinha já sido publicado O Contador de Histórias, de sua autoria, um livro que confesso me ter passado ao lado, mas que me passou a interessar bastante depois de ter lido Uma Mulher Desnecessária. Não vou esconder…

A Gorda – Isabela Figueiredo

Advertência: Todas as personagens, geografias e situações descritas nesta narrativa são mera ficção e pura realidade. Assim se inicia A Gorda, deixando desde logo o leitor avisado para as possíveis intersecções entre os eventos narrados neste livro e a experiência pessoal de Isabela Figueiredo, que se estreia com este livro na ficção. Narrado na primeira pessoa ao…

Um Estado Selvagem – Roxane Gay

Que livro brutal. Já tinha lido muitas coisas boas sobre Um Estado Selvagem, romance de estreia da escritora norte-americana Roxane Gay, mas penso que nada me preparou para o que encontrei. Narrado (quase sempre) na primeira pessoa, este é um livro que retrata um episódio de rapto de Mireille Duval Jameson, descendente de imigrantes haitianos nos…

Debaixo da Pele – David Machado

Ando há anos para ler o Índice Médio da Felicidade, mas, por um ou outro motivo, foi-se-me escapando entre os dedos. David Machado publicou este ano o seu mais recente romance, Debaixo da Pele, e porque me foi emprestado, foi por aqui mesmo que decidi começar a conhecer melhor este autor (depois de breves incursões pelos seus…

Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes – Elena Favilli e Francesca Cavallo

Se tivesse de escolher apenas uma palavra para descrever este livro, escolheria inspirador. A segunda seria, muito provavelmente, belo. Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes começou por ser um projeto de crowdfunding na plataforma Kickstarter, em que o valor inicialmente pretendido de quarenta mil euros acabou por chegar a cerca de um milhão – um recorde para um livro neste…

Perguntem a Sarah Gross – João Pinto Coelho

Na maioria das ocasiões, vou alinhavando ideias ao longo da leitura e depois, quando chega a altura de escrever a minha opinião, trato de juntar as peças e tentar montar o puzzle. Mas, por vezes, acabo um livro e não faço ideia do que vou escrever sobre ele. Estou desde ontem, quando terminei Perguntem a Sarah…

O Rouxinol – Kristin Hannah

Sabem aqueles livros sobre os quais vamos lendo coisas tão boas que as expectativas ficam tão impossivelmente altas e nos convencemos que vamos adorar, independentemente de tudo o resto? Pois, foi o que me aconteceu com O Rouxinol, da escritora norte-americana Kristin Hannah. Era um livro que, aparentemente, tinha tudo para se tornar um dos favoritos…

Papéis Diferentes – Tom Hanks

Ponto prévio: Tom Hanks é um dos meus atores favoritos. Quem consegue esquecer os seus desempenhos em, por exemplo, Filadélfia ou Forrest Gump? Em papéis mais recentes, adorei vê-lo em Captain Phillips e em Sully, ambos baseados em histórias reais de heróis improváveis. Papéis Diferentes é a primeira incursão de Tom Hanks na ficção e, perante esta publicação, a maior curiosidade era descobrir…

Fora do Mundo – Michael Finkel

Em 1986, o jovem de 19 anos Christopher Knight entrou numa das florestas do estado norte-americano do Maine e achou que era um excelente local para ficar. E assim foi, ao longo de 27 anos. Com um misto de habilidade e sorte, Christopher Knight conseguiu, ao longo de quase três décadas, permanecer escondido da civilização…

Submissão – Michel Houellebecq

Submissão foi a minha estreia com o famoso escritor francês Michel Houellebecq. Ouvi falar deste livro na Roda dos Livros e fiquei interessada não só pela premissa, mas também por aparentemente ser um livro tudo menos consensual. Estou numa fase em que preciso de livros que me desafiem e este pareceu-me, sem dúvida, uma boa…

Impunidade – H.G. Cancela

Fazer parte da Roda dos Livros tem sido uma experiência enriquecedora a vários níveis, e posso afirmar já, com alguma dose de certeza, que me tornou numa leitora diferente. Não melhor, nem pior, simplesmente diferente; mais atenta a certos aspetos dos livros e mais desperta para o essencial e menos para o acessório. E, depois,…

Morreste-me – José Luís Peixoto

Não há palavras que sejam suficientes para expressar a dor de perder um pai. É uma coisa tão visceral e devastadora, que se torna num daqueles momentos em que o antes e o depois se vêm separados por um limite inultrapassável. Há pessoas que sentem conforto no partilhar dessa dor, que conseguem facilmente rever-se nas…