«A bofetada» de Christos Tsiolkas :: Opinião

Li este calhamaço (538 páginas) nuns poucos dias de férias e só pensava numa questão: quantas camadas de pele é que esta bofetada atinge? Muitas, com certeza. Só pode. A dureza e a realidade que Tsiolkas narra são tensas, explosivas e algumas até amorais, no entanto, convivem lado a lado com vidas que se assemelham…

«Estoril, um romance de guerra» – Opinião

O «Estoril, um romance de guerra» no Livro do dia TSF Entramos neste livro, recheado de episódios verdadeiros,que fizeram parte da História da Segunda Grande Guerra e tornaram o Hotel Palácio num dos refúgios da Europa, pela mão de Gabi, uma criança de dez anos que chega sozinha ao Hotel Palácio e ali ficará à espera…

«Raparigas Mortas» de Selva Almada :: Opinião

“Quando eu era pequena, adorava ir ao cemitério. Nas tardes soalheiras, nos domingos de inverno, com sacos de crisântemos ou dálias, flores que o avó plantava no seu jardim com o único objectivo de enfeitar as sepulturas dos nossos mortos. (…) Havia sobretudo dois túmulos que me causavam fascínio e espanto, um sentimento romântico, obscuro,…

«As nossas almas na noite» de Kent Haruf – Opinião

A propósito da estreia do filme inspirado neste livro, lembrei-me de meter mãos à obra e escrever sobre esta leitura, ainda antes de ser influenciada pelo filme. Antes de mais, importa dizer que Addie e Louis são o espelho das segundas oportunidades, mas também do condicionamento que a família, por vezes, pode representar e isso…

«Remédios Literários, Livros para salvar a sua vida – de A a Z» – Prescrição

Em busca da minha prescrição literária. Sintomas: – Diagnostico em mim crises diversas e variadas; teimosia agravada e solidão cristalizada; – entre outras coisitas físicas mais simples, como dificuldade em fechar a boca ou síndrome de cão da pradaria… Após uma leitura atenta, divertida e considerando conselhos e avisos das autoras, estou prepara para emitir…

“Quem lê poesia, vive menos cansado das coisas bruscas da vida.” – opinião – «Os livros das nossas vidas»

 “Afinal, o modo correcto de ler é o que satisfaz a nossa necessidade. A leitura apressada, lenta ou cuidadosa, depende dos nossos objectivos. Escreveu Francis Bacon: «alguns livros são para ser degustados, outros engolidos e outros ainda mastigados».” Pequeno, conciso e variado assim é este «Os livros das nossas vidas». Um compêndio generoso de diversas…

«YORO» de Marina Perezagua :: Opinião

«YORO» de Marina Perezagua é inquietante, visceral, duro, apaixonante, vibrante, desconcertante, anguloso, (digo eu) inovador, resiliente, descritivo, ritmado, fascinante, onírico, labiríntico, visual. contemporâneo, sofredor, real e altamente inclassificável, entre o horror do que descreve e a beleza da escrita. É também bastante difícil de dosear a leitura, já que é extremamente viciante toda a relação…