Submissão – Michel Houellebecq

Um dia, ouvi o seguinte comentário acerca de um livro de Houellebecq: “Já sei que me vai irritar, mas não vou conseguir não o ler.” Na altura, não percebi o motivo de tanta irritação. Agora, depois de ter lido algumas obras deste autor, julgo começar a perceber: o problema está no seu talento para desenhar…

Estrada para Los Angeles – John Fante

“O mentor de Bukowsky”. Foi este epíteto que me convenceu a ler uma obra de John Fante, autor que, até agora, desconhecia. Isso e o facto de, logo na contracapa, se encontrar a seguinte citação de Bukowsky: «Fante era o meu deus. E eu sabia que os deuses não deviam ser importunados – não podíamos…

Um Postal de Detroit – João Ricardo Pedro

Ele voltou a fazê-lo. Raios o partam, voltou mesmo a fazê-lo. Depois de, em O Teu Rosto Será o Último, nos ter brindado com uma obra povoada de passagens deliciosamente bem escritas (quem não se lembra das “primeiras vítimas da revolução”?), para depois nos deixar pendentes de um desfecho prometido ao longo de todo o livro e afinal…

Stoner – John Williams

Um livro que andou perdido durante 50 anos e foi depois redescoberto e aclamado por leitores e autores consagrados como uma obra-prima? Curioso. Comecei a lê-lo muito pouco convencida de que fosse assim tão extraordinário. Mas… tive duas surpresas: primeiro, fiquei agarrada ao livro da primeira à última página. Depois, ao longo de toda a…

Deixem Falar As Pedras – David Machado

Valdemar tem um diário. Um diário serve para se escrever livremente, sem filtros nem receios, porque não há público e, logo, não há censuras. E é isso que Valdemar faz, até ao dia em que, na qualidade de seu próprio público, começa a censurar-se a si mesmo, porque lhe parece que há coisas que não…

Todos os Dias São Meus – Ana Saragoça

  Li este livro de um fôlego. Todo seguido. Não por serem só 100 páginas, nem por ser um policial empolgante – devo dizer que consegui atravessar todo o livro sem a menor curiosidade sobre quem seria o assassino. Não, não sofro de apatia patológica. O que se passa é que o enredo policial foi…

Dizem que Sebastião – João Rebocho Pais

  Dizem que este livro encoraja a leitura dos clássicos. Que é uma ode à leitura. Que apresenta a aventura literária como uma jornada de autodescoberta. Tudo isso já foi dito e repetido e, sendo tudo verdade, parece-me uma visão tristemente redutora. Sim, Sebastião redescobre o prazer da leitura que tinha abandonado em prol de…

Sputnik, Meu Amor – Haruki Murakami

  Finalmente decidi-me a mergulhar na obra de Murakami. Depois de todos os adjectivos com que já ouvira qualificá-lo – surreal, delirante, assombroso, surpreendente – esperava uma reacção extrema da minha parte. Esperava adorar ou detestar. Não esperava, certamente, aquilo que aconteceu: chegar ao fim do livro com a sensação de que me limitei a…

O Intrínseco de Manolo – João Rebocho Pais

  O que, neste livro, mais me impressionou resume-se numa frase: a escrita de João Rebocho Pais é de tal forma talentosa que se entranha no leitor por todos os poros, cativando-o a cada frase, impedindo-o de interromper a leitura e inundando-o daquele raro prazer que é desfrutar de um texto magistralmente escrito. Aqui se…

O Retorno – Dulce Maria Cardoso

  Ler este livro foi uma viagem no tempo. Foi um voltar à infância, ao pós-25 de Abril, ao tempo em que os dias de férias e fins-de-semana eram passados a brincar na rua e em que praticamente todos os companheiros de brincadeiras eram retornados. Claro que, na altura, como criança que era, não me…

Os Memoráveis – Lídia Jorge

  Na história do mundo, há momentos em que o eterno ciclo de desencantos e fatalidades se interrompe e nele se abre uma brecha através da qual se introduz uma luminosidade pura, uma alegria espontânea que contagia quantos a presenciam e dá origem a acontecimentos extraordinários. São momentos de excepção, em que os espíritos se…

A Casa com Alpendre de Vidro Cego – Herbjorg Wassmo

Este é um livro sobre pessoas encurraladas. Encurraladas, antes de mais, pela inclemência da natureza, sendo o clima norueguês obviamente limitador dos passos de quem a ele está sujeito. Encurraladas, também, pela pobreza da vida numa pequena aldeia piscatória, onde poucos têm mais do que o estritamente essencial, e a maioria nem mesmo o essencial consegue…

Índice Médio de Felicidade – David Machado

Era uma vez três amigos. A crise destruiu-lhes as vidas. Dois sucumbiram. O outro não. Daniel viu a sua vida colapsar. Daniel recusou-se a colapsar também. A questão mais evidente levantada por este livro é até onde será razoável manter o optimismo. Daniel perde tudo – emprego, casa, família -, vê-se a viver em condições…

Sempre Vivemos no Castelo – Shirley Jackson

Merricat (Mary Katherine Blackwood) vive com a irmã, o tio idoso e o gato Jonas numa casa que funciona como santuário: um território seguro, onde o mundo exterior não entra e onde, por isso mesmo, podem viver em harmonia sem ameaças nem receios. Os dias mais difíceis para Merricat são aqueles em que tem de ir…

Para Onde Vão os Guarda-Chuvas – Afonso Cruz

Para onde vai tudo o que perdemos? Para onde vão os guarda-chuvas, as pessoas que deixaram de fazer parte da nossa vida, a pessoa que nós éramos e já não somos? Como todas as questões levantadas nos livros de Afonso Cruz, esta pequena pergunta é o suficiente para nos deixar a pensar durante horas. Neste…

Fome – Knut Hamsun

Escreve Paul Auster, no prefácio a este livro, que o protagonista “procura o que é mais difícil em si mesmo, cortejando a dor e a adversidade da mesma maneira que outros homens procuram o prazer. Não passa fome porque tenha de o fazer mas por uma estranha compulsão interior, como que para empreender uma greve de fome…

A Boneca de Kokoschka – Afonso Cruz

Um livro que se lê como se descasca uma cebola. Ou como se arrumam matrioskas, as conhecidas bonecas russas que cabem todas dentro umas das outras. Aqui, tanto a realidade como a ficção são compostas por camadas, umas mais evidentes que outras, mas todas relacionadas entre si. A própria fronteira entre realidade e ficção se esbate. Qual é…