«Princípio de Karenina» de Afonso Cruz :: Opinião

O princípio de Karenina ou a imperfeição que é querer medir a felicidade.  “A imperfeição salvar-me-ia com igual intensidade e na mesma medida com que me faria sofrer” É nesta medida dúbia, tendo na imperfeição a salvação, que um homem narra a sua história, numa longa carta de apresentação, à filha que não viu crescer. Explicando-lhe “uma orientação…

«Filho Único» de Rhiannon Navin :: Opinião

Entramos por este drama adentro fechados num armário, escondidos como quem fez asneira ou quem não quer ser apanhado. Tacteamos no escuro, mantemos o silêncio e quase não respiramos. Podia ser uma brincadeira, mas não é. Começamos nesse armário com medo e seguimos por outro armário para combater o luto e a vida que se complica…

«MANAZURU» de Hiromi Kawakami – Opinião

“O meu marido desapareceu sem deixar rasto. Até hoje, não voltei a vê-lo.” O romance «Manazuru» podia assim encher-se com luto e o abandono, causado pela incerteza do desaparecimento de Rei. Mas não. Apesar de narrar um desaparecimento com mais de uma década, Kawakami, coloca Kei, a esposa, no centro desta narrativa, preenchendo-a de emoções…

«O Bom Inverno» de João Tordo :: Opinião

Frustrado, cínico e hipocondríaco, o narrador: um escritor entregue à melancolia e a um certo ócio, está descrente do poder da literatura. Céptico com o poder dos livros e das suas histórias e, igualmente pessimista com o que a realidade tem para lhe oferecer. “Se antes eu era um pessimista, depois de comprar a bengala…

«A bofetada» de Christos Tsiolkas :: Opinião

Li este calhamaço (538 páginas) nuns poucos dias de férias e só pensava numa questão: quantas camadas de pele é que esta bofetada atinge? Muitas, com certeza. Só pode. A dureza e a realidade que Tsiolkas narra são tensas, explosivas e algumas até amorais, no entanto, convivem lado a lado com vidas que se assemelham…

«Estoril, um romance de guerra» – Opinião

O «Estoril, um romance de guerra» no Livro do dia TSF Entramos neste livro, recheado de episódios verdadeiros,que fizeram parte da História da Segunda Grande Guerra e tornaram o Hotel Palácio num dos refúgios da Europa, pela mão de Gabi, uma criança de dez anos que chega sozinha ao Hotel Palácio e ali ficará à espera…

«As nossas almas na noite» de Kent Haruf – Opinião

A propósito da estreia do filme inspirado neste livro, lembrei-me de meter mãos à obra e escrever sobre esta leitura, ainda antes de ser influenciada pelo filme. Antes de mais, importa dizer que Addie e Louis são o espelho das segundas oportunidades, mas também do condicionamento que a família, por vezes, pode representar e isso…