«A fé de um escritor» de Joyce Carol Oates :: Opinião

Numa análise que se expande desde a infância à idade adulta, Oates recorda a doentia inspiração vinda de Poe, o imaginário mundo de Lewis Carol, a importância de aceitar os impulsos que desde cedo formatam o escritor. É importante seguir imaginando, sonhando e idolatrando tantos outros escritores; mestres desse ofício solitário e tantas vezes incompreendido. Um ofício romântico, podendo estar condenado ao fracasso e certamente condenado à revisão constante e ao escrutínio da avaliação alheia.

Anúncios