A Espia do Oriente – Nuno Nepomuceno

aespiadoorienteDeparei-me com a trilogia Freelancer na Feira do Livro de Lisboa do ano passado, por sugestão da Patrícia. Li o primeiro volume a grande velocidade, em apenas três dias (quase tão rápido como a Márcia, cuja opinião podem encontrar aqui) e tal como o primeiro, este segundo volume da história lê-se muito rapidamente.

A verdade é que esta história, apesar de complexa, tem poucas personagens e todas com bastante personalidade, o que torna a acção rápida, porque estamos sempre a acompanhar uma personagem importante, e coerente. Fiquei completamente agarrada à leitura, a querer saber o que se iria passar a seguir, sobre tudo quando no auge da luta pelos tão preciosos documentos surge, não se sabe de onde, uma terceira facção. Mistério! Quem são eles e o que querem? Qual é a ligação aos documentos? Entretanto, a passagem da equipa por Courchevel garante umas boas gargalhadas pela descrição dos ataques d’ A Diva e do seu séquito. Polvilhar humor numa fase dramática da história não é para todos e o autor saiu-se muito bem. Tudo isto acontece a par da preparação de uma cimeira da União Europeia em Lisboa, para assinatura de um tratado. Não dá para parar de ler. 

O único ponto negativo é que há vários momentos em que acontecem coisas pouco verosímeis e que me fizeram pensar “isto já é um bocadinho demais!”. Porém, e ao contrário do primeiro, este segundo volume termina com uma enorme e inesperada reviravolta que nos faz querer começar o terceiro de imediato.

Sinopse

“Dubai, Emirados Árabes Unidos.
De férias na região, um investigador norte-americano é raptado do hotel onde se encontrava instalado. Uma nova pista sobre um antigo projecto de manipulação genética é descoberta e a Dark Star, uma organização terrorista internacional, está decidida a utilizar os conhecimentos deste cientista para ganhar vantagem.
Contudo, de regresso à Europa, uma das suas operacionais resolve trair o sindicato do crime e oferece-se para trabalhar como agente dupla ao serviço da inteligência britânica. O mistério adensa-se quando esta mulher, de nome de código China Girl, impõe como única condição colaborar com André Marques-Smith, o director do Gabinete de Informação e Imprensa do Ministério dos Negócios Estrangeiros português e espião ocasional.
Obrigados a trabalhar juntos para evitarem um atentado a uma importante líder europeia, uma atmosfera tensa, de suspeição e desconfiança, instala-se de imediato entre os dois. Mas que segredos esconderá esta mulher, cujo próprio nome é uma incógnita? Serão as suas intenções autênticas? Será o espião português capaz de resistir à sua invulgar e exótica beleza?
Vencedor do Prémio Literário Note! 2012, Nuno Nepomuceno regressa com A Espia do Oriente, o segundo livro da série Freelancer. Por entre os cenários reais de Budapeste, Berlim, Londres, Courchevel, Dubai e Lisboa, o autor transporta-nos para um mundo de mentiras, complexas relações interpessoais, e reviravoltas imprevisíveis. Uma reflexão profunda sobre os valores tradicionais portugueses, contraposta com a sua já habitual narrativa intimista e sofisticada, e que vai muito além do tradicional romance de espionagem.”

Topbooks, 2015

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s