Haatchi e Litle B de Wendy Holden

Há livros que leio e fico com uma grande dose de respeito pelas pessoas que neles venho a conhecer. Algumas pessoas conseguem, pela força e coragem demonstradas, construir uma rede de simpatia e admiração infindável. Há quem não goste de ler este tipo de livros. Eu gosto. Porque são inspiradores. Porque com a força que demostram fazem-nos sentir insignificantes mas também cheios de fé no ser humano.

Owen é um menino especial, que nasceu com Síndrome de Schwartz-Jampel, uma doença rara que lhe afeta os musculos provocando-lhe dores e impedindo o seu crescimento normal. Haatchi, é um cão que foi abandonado numa linha de caminho de ferro e que ficou sem uma pata. O amor que os une fez com que Owen, ou Litle B, como é carinhosamente conhecido, ultrapassasse os seus medos e inseguranças por ser diferente. As atenções a que sempre era alvo por ser “diferente” passaram a ser dirigidas a Haatchi, à sua história. Owen passou a comunicar sem medos.

Sem ser de uma forma lamechas, esta obra conta-nos quais as dificuldades por que ambos passaram e quão grande o amor pode ser e transformar quem ama. Haatchi marcou não só a vida do pequeno Litle B mas também a de muitas outras pessoas já que foi treinado como cão de terapia.

Uma lição de vida. Um livro que adorei ler.

Estrelas: 5*

Sinopse

Numa noite gelada em janeiro de 2012, Haatchi, o cão, foi atingido na cabeça e abandonado numa linha de caminho de ferro para ser atropelado por um comboio. O maquinista viu demasiado tarde o adorável pastor-da-anatólia de cinco meses. De alguma forma, o aterrorizado cachorrinho sobreviveu à perda de sangue da pata e cauda parcialmente cortadas e conseguiu rastejar para um lugar seguro.

Felizmente, Haatchi foi resgatado, embora os veterinários não tenham conseguido salvar-lhe a pata e cauda. Um apelo no Facebook chamou a atenção de um casal de bom coração, Colleen Drummond e Will Howkins, que também são o pai e a madrasta de Owen (conhecido na família como Little B, ou seja Little Buddy, «amiguinho»). Um olhar para o focinho expressivo de Haatchi disse-lhes tudo o que precisavam de saber e o sortudo cão mudou-se para casa da família Howkins apenas seis semanas depois de quase ser morto. Owen, agora com oito anos, tem uma doença genética rara que faz com que os seus músculos estejam permanentemente tensos. Em grande parte confinado a uma cadeira de rodas, era um menino reservado e ansioso com dificuldade em fazer amigos. Mas quando Owen acordou na manhã depois de Haatchi chegar, apaixonou-se imediatamente pelo cão mutilado que, por sua vez, acabou por salvá-lo.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s