“Que importa a fúria do mar” de Ana Margarida de Carvalho

Que Importa a Fúria do Mar

Alimentar expectativas elevadas relativamente a um livro é, por vezes, meio caminho andado para uma grande desilusão. Foi exactamente isso que senti em relação a este romance de Ana Margarida de Carvalho. Queria tanto deixar-me fascinar por ele que o li até ao fim na esperança de me deixar cativar a qualquer momento da sua narrativa. Infelizmente, tal não se verificou. Antes de mais, devo deixar bem claro que estas linhas reflectem apenas a opinião pessoalíssima de alguém, sem formação específica em línguas e literaturas, que apesar de reconhecer o elevado grau de domínio da língua portuguesa e a enorme erudição da autora, não se identificou com o seu estilo de escrita. Trata-se, apenas e só, de uma questão de gosto pessoal. A premissa por detrás da história deste livro tinha tudo para me interessar mas o tipo de linguagem escolhido, a meu ver excessivamente rebuscado e erudito, dando até uma certa impressão de artificialidade, não me convenceu. Fui atraída para “Que importa a fúria do mar” através de um excerto fantástico sobre o mar que se encontra no fim deste artigo e que acabou por ser a única parte que realmente me deslumbrou. Confesso que achei absolutamente insuportável a protagonista da história e a grande maioria das suas divagações totalmente entediantes. Para além disto, encontrei ainda neste livro vários aspectos de pormenor que me desagradaram consideravelmente (sim, sou uma chata picuinhas que adora detalhes!) a saber:

A menção à existência de teletransporte na série de televisão “Espaço 1999” quando tal não “existia” na base lunar Alfa. É em “Star Trek” que se encontra o teletransporte.

Uma referência aos primatas do género Loris como sendo marsupiais quando obviamente nunca o poderiam ser.

Uma passagem onde se diz que o nosso Sol morrerá daqui a 5 milhões de anos quando tal só deverá ocorrer daqui a 5 mil milhões de anos.

Pareceu-me uma incoerência enorme que, depois de tanto esforço para construir um romance com uma linguagem tão elaborada, não tenha havido o cuidado de verificar a exactidão destas afirmações. Considero que o rigor é importante e se um dado autor resolve enveredar por áreas que domina mal, neste caso a zoologia, a astronomia e a ficção científica, deverá ter o cuidado de se documentar prévia e correctamente.

Excerto:

“O mar é a mais líquida, a mais extensa e a mais habitada das metáforas. Transparente, mas parece azul por reflexo do céu. Também pode ser verde, depende das algas transportadas e do grau de poluição. Tem os abismos dos subconsciente, a metamorfose contínua da superfície. Tem grutas e recifes de coral. Destroços de naufrágios, despojos da humanidade a boiar. Às vezes, convulsiona-se, outras estagna-se. Erguem-se vagas que se elevam a dezoito metros de altura, outras calmarias de tédio e sudação. Em poucos minutos ensaia-se uma tempestade, emissária das fúrias dos deuses, depois tudo se dissipa como uma bruma imponderável. Recomeça sempre, ondulação sem repouso, em cada onda um reinício do ciclo eterno, com a cadência de um verso. Tudo transita, tudo recomeça, tudo se dissolve, tudo se funde na ambivalência. É povoado por excêntricas criaturas, cardumes, espécies comedoras e espécies comidas, anémonas, medusas, crustáceos, florestas submarinas, sereias, baleias gigantes. É navegada por Caronte, Jonas devorado pela baleia e depois vomitado, por Ulisses, Calipso e outros argonautas. O mar é literariamente arável.”

Anúncios

3 pensamentos sobre ““Que importa a fúria do mar” de Ana Margarida de Carvalho

  1. Conheço bem esta sensação. Apesar de ter adorado este livro. Temos gostos muito diferentes. Quando eu gostar muito de um livro…olha… não o leias! 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s