A Noite das Mulheres Cantoras – Lídia Jorge

anoitedasmulherescantorasDepois de várias tentativas de ler “A Costa dos Murmúrios”, não sei explicar porquê nunca avancei na leitura, finalmente li um livro de Lídia Jorge e pude encantar-me com a sua escrita.

Partindo de um estrutura original mas não inédita, a autora traça o percurso de um grupo de mulheres que tem o sonho de cantar. Fazendo lembrar alguns grupos pop dos anos 80 com canções festivaleiras, coreografias exuberantes e um guarda-roupa cheio de folhos, brilhos e cores, entrei na garagem dos ensaios e, acima de tudo, entrei nos mistérios algo densos de um grupo liderado por Mimi, a maestrina.

Mimi, ou Gisela Baptista, é arrebatadora e determinada, a líder que as outras seguem muitas vezes sem razão lógica. Simplesmente porque há pessoas assim, que nos impelem a segui-las tomando nossas as suas vontades. Gisela decide tudo, ultrapassando a esfera do grupo, devassando as vidas privadas das colegas; é de uma força tão bem caracterizada e descrita que a amamos e odiamos conforme Lídia Jorge muito bem lhe apetece. Sim, senti-me uma marioneta nas palavras deste livro, perdi completamente o comando e deliciei-me a sujeitar-me às suas ordens.

Mimi é a personagem mais forte mas a voz é Solange, letrista do grupo. Solange, figura fulcral, vinte anos na sombra, é apresentada no primeiro capítulo como uma estrela. Mas isso é porque se trata da “Noite Perfeita”. Um começo cheio de brilhos e felicidade que é o fim de um percurso. Na verdade, na segunda vez que li o primeiro capítulo (depois de chegar ao fim) e revisitei a “Noite Perfeita” já não achei assim tão perfeita, tanto brilho sugeriu-me alguma decadência e nostalgia, talvez alguma saudade de um passado que as mulheres cantoras construíram mas que compõe um retrato de muitas peças. Peças tristes, peças duras, peças que não encaixam na “Noite Perfeita”.

Passado numa Lisboa dos anos 80, que eu não conheci mas pude criar, “A Noite das Mulheres Cantoras” é um romance que me revelou finalmente a Lídia Jorge que eu já há muito queria conhecer.

Sinopse

“Há uma pergunta que percorre este romance de Lídia Jorge, da primeira à última página: Quantas vítimas se deixa pelo caminho para se perseguir um objectivo? A acção do romance decorre no final dos anos 80 do século XX e invoca um tema de inesperada audácia – o da força da idolatria e a construção do êxito – visto a partir do interior de um grupo, narrado 21 anos mais tarde, na forma de um monólogo. 
Como é habitual na obra da autora, a questão social é relevante – a força do todo e a aniquilação do indivíduo perante o colectivo são temas presentes neste livro. Mas aqui, tratando-se de um grupo fechado e dominado pela música, a parábola social submerge perante a descrição de um ambiente de grande envolvimento humano e de densidade poética.
Servido por uma narrativa ao mesmo tempo rude e mágica, A Noite das Mulheres Cantoras propõe a quem o lê a história de seis figuras que passam a viver para sempre no nosso imaginário.
A história de amor comovente que une as duas personagens principais, Solange de Matos e João de Lucena, é, por certo, um daqueles episódios que iluminam a realidade e tornam indispensáveis a grande literatura sobre a vida de hoje, com os ingredientes próprios da cultura dos nossos dias.”

D. Quixote, 2011

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s